Professora grávida morre de covid-19 após chá de fraldas surpresa

 
Colegas de trabalho de Camila Graciano, 31 anos, organizaram a festa para a amiga quando ela já estava no oitavo mês de gestação. Parto foi induzido e bebê passa bem.

Camila Graciano, de 31 anos, morreu com Covid-19, em Anápolis - (foto: Reprodução/Facebook).

A professora Camila Graciano, de 31 anos, que estava grávida de oito meses, acabou morrendo de covid-19 em Anápolis, Goiás. Ela teve contato com uma pessoa infectada dias antes de ser internada, segundo o irmão. A morte da gestante foi confirmada no último sábado (22/8) pela Santa Casa de Misericórdia da cidade. Camila estava internada havia pouco mais de uma semana na unidade.


A gravidez da professora era de risco e, por isso, ela tomou todos os cuidados possíveis e fez um isolamento social restrito. No entanto, o irmão da vítima, Daniel Hélio Ambrósio, contou ao G1 que colegas de trabalho da professora fizeram um chá de fraldas surpresa na reta final da gravidez e uma das participantes estava infectada. A colega não tinha conhecimento ainda da doença porque não apresentava sintomas.


"Algumas conhecidas dela, como amigas do serviço, fizeram um chá de fraldas surpresa, e uma delas estava contaminada e não sabia. Logo depois, ela ficou muito ruim e os familiares avisaram às meninas que participaram do chá. Infelizmente, minha irmã foi uma das infectadas", contou Daniel.

Internação


Camila precisou ser internada às pressas, três dias depois da comemoração. A família da professora ainda encontrou um empecilho. Não havia, na data, leitos disponíveis em nenhuma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da região. Familiares pensaram até em levar a docente para Goiânia ou Brasília.


"Graças a Deus, temos muitos amigos, todos se mobilizando em prol de conseguir uma vaga de UTI para a Camila, até que conseguiram um leito na Santa Casa", relatou o irmão.

Parto induzido



O parto precisou ser induzido para salvar a vida da bebê, que nasceu prematura, aos oito meses. "Graças a Deus minha sobrinha apresenta bons sinais, está respirando sozinha na incubadora, não precisa de balão de oxigênio", contou Daniel.


A primeira filha do casal, Helena, foi muito desejada pelos pais. Eles estavam juntos havia sete anos.


Correio Brasiliense

Nenhum comentário

Deixe aqui seu comentário.

Observação: Você é responsável pelo seu comentário.


Compartilhe o Blog: Paulodesouza.digital