5G pode levar internet fixa de alta velocidade para regiões afastadas

Qualcomm amplia o alcance de suas antenas para uma área de 3.8 km podendo mudar o cenário da internet fixa em diversas áreas.




Conforme as redes 5G começam a se espalhar pelo mundo, empresas vão encontrando problemas e dificuldades na implementação da rede. E o maior obstáculo encontrado nas torres que trabalham com ondas milimétricas (em inglês mmWave) de redes de ultra velocidade tem sido o alcance de transmissão em curta distância.

A Qualcomm anunciou uma conquista na cobertura das transmissões mmWave, atingindo com sucesso a conexão de dados 5G por 3.8 quilômetros de distância, mais que o dobro do alcance prometido ano passado pelo seu sistema de antenas de grandes distâncias, o QTM527.

O importante nessa notícia é o fato que o recorde de distância batida é para modems de banda larga e não celulares. A empresa tem promovido a notícia com base no fato que o sistema mmWave só é viável em acesso de redes fixas sem fio, permitindo aos provedores oferecerem uma internet com velocidade de fibra ótica em áreas de difícil acesso, como a região rural, suburbana ou até mesmo regiões urbanas com pouca cobertura. O teste foi conduzido com sucesso em Regional Victoria, na Austrália, e aparentemente correu com o mínimo de interferência física entre os dispositivos utilizados.

O 5G de onda milimétrica tem o potencial de ser o item de maior demanda no tema de conexões e velocidade no futuro. Ela pode permitir a transferência em velocidades de múltiplos gigabit por segundo, tudo isso graças aos grandes blocos de informações disponíveis dentro do espectro das redes sem fio.

Nos Estados Unidos, a Verizon, operadora de redes móveis, até o momento, tem dependido exclusivamente da mmWave para entregar o serviço 5G, disponibilizando tanto uma internet que chega a velocidades de 1 a 2 Gb/s, caso os modems de banda larga ou dispositivos portáteis estejam próximos às torres de 5G. Combinado com as redes de pouca latência, tais velocidades podem permitir de tudo, desde streaming em tempo real a aplicações industriais da próxima geração.

Mas até o momento, as ondas milimétricas tinham dificuldade de atingir dispositivos a longa distância, demandando que operadoras liberassem um grande número de “pequenas células” só para atingir a cobertura desejada. A partir de agora, pode ficar muito mais simples dobrar o alcance, exibindo cada vez menos a célula pequena, reduzindo consideravelmente custos de implementação do 5G.

O teste se baseia em duas soluções de hardware da Qualcomm, o modem Snapdragon X55 e a antena QTM527, ambos se comunicando com os equipamentos de torre da Ericsson, o Air5121 e o Baseband 6630, este último melhorado com o software de ampliação de alcance.

Nada foi divulgado sobre velocidade ou detalhes da conexão, mas a Qualcomm considerou um sucesso os testes de alcance, dando a entender que que podem ter havido problemas de velocidade em algumas áreas. A empresa anteriormente percebeu que as operadoras eram capazes de entregar até 7 Gb/s de download desde que a antena QTM527 conseguisse acessar o espectro de onda milimétrica de 800 MHz. As torres já existentes atingiram 4.3 Gb/s em um só dispositivo e 8.5 Gb/s em dois.


Para a internet alcançar regiões remotas é necessário combinar modems, antenas, sistemas e instalações para garantir a conexão. Imagem por Pexels.

A Qualcomm já anunciou um modem mais capaz de suprir essa demanda, dando sequência ao modelo X55, o Snapdragon X60, mas ainda não anunciou um sucessor para a antena QTM527, a mesma tendo sido anunciada a menos de um ano. A medida que o desempenho das mmWaves tem aumentado, parece que elas se tornaram a prioridade da empresa, sendo bem provável vermos melhoras em todos os sistemas em um futuro bem próximo.

Via: VentureBeat e Olhar Digital

Nenhum comentário

Deixe aqui seu comentário.

Observação: Você é responsável pelo seu comentário.


Compartilhe o Blog: Paulodesouza.digital