Combate a sonegação fiscal: PRF apreende quase 100.000 mil litros de produtos transportados irregularmente em trechos baianos das Brs 116 e 242

 


As abordagens foram realizadas nos municípios de Cândido Sales e Itaberaba. Um dos veículos transportava 47.000 litros de álcool etílico e o outro por sua vez, 36.000 litros de cerveja. Nenhuma das cargas possuía documentação fiscal comprobatória.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) segue combatendo os crimes fiscais. Em ações distintas, agentes federais apreenderam mais de 80.000 mil litros de mercadoria transportados de forma irregular. As ações foram registradas durante fiscalização nas BRs 116 e 242.

O primeiro flagrante foi registrado no final da noite de ontem (24), em Itaberaba (BA), durante fiscalização ostensiva na altura do quilômetro 225 da BR 242, quando foi abordada uma combinação de veículos.

Inicialmente, os policiais solicitaram os documentos de porte obrigatório e da carga. Logo em seguida, os PRFs verificaram que o motorista transportava 47.000 litros de álcool etílico hidratado, avaliado em quase 97.000 mil reais.

Indagado sobre a origem comprobatória, o condutor apresentou uma nota fiscal que tinha como destino final o estado do Rio de Janeiro, contudo não sabia informar a cidade onde seria feito o descarregamento. Além disso, demonstrou nervosismo, informações contraditórias e uma rota adotada totalmente suspeita para um veículo que havia supostamente saído de Goias.

Posteriormente, agentes de tributos da fazenda estadual (SEFAZ/BA) confirmaram que a nota apresentada por ele era inidônea, confirmando as suspeitas dos agentes federais de crime fiscal e tributário.

Já na manhã desta sexta-feira (25), por volta das 7h, no KM 809 da BR 116, em um trecho do município de Cândido Sales, foi abordado um caminhão modelo Scania/R450 acoplado a um semirreboque. Durante a vistoria detalhada, equipe da PRF constatou que o caminhoneiro transportava 8.970 caixas de cerveja, totalizando 36.000 litros da bebida.

O motorista apresentou duas notas fiscais com divergências relacionadas a origem bem como destinação final da carga. Questionado pela equipe, ele relatou que trouxe a mercadoria de Feira de Santana (BA) para transportá-la até Montes Claros (MG), porém como as notas fiscais que possuíam indicavam a cidade de Vitória da Conquista(BA), receberia do contratante um outro documento para o destino final.

Diante dos fatos citados, as ocorrências foram encaminhadas à apreciação da Secretaria de Fazenda Estadual (SEFAZ/BA) para os procedimentos administrativos, o que incluí pagamento do imposto sonegado e multas.

Por causa da sonegação fiscal o Brasil deixa de arrecadar bilhões em impostos por ano. Recolher menos impostos é o mesmo que dizer: “menos saúde, menos escolas, menos hospitais, menos segurança”.

 
 
 

Nenhum comentário

Deixe aqui seu comentário.

Observação: Você é responsável pelo seu comentário.


Compartilhe o Blog: Paulodesouza.digital