PARCEIROS


O retorno da fera. veja como será a luta entre Mike Tyson e Roy Jones Jr.




Uma luta entre dois veteranos acima dos 50 anos, mesmo em tempos incomuns como 2020, poderia passar batida. O embate deste sábado, porém, marcará o retorno de um dos maiores pugilistas de todos os tempos. Aos 54 anos, Mike Tyson volta aos ringues em um duelo de exibição contra o também americano Roy Jones Jr., de 51. Os dois se enfrentam no emblemático Staples Center, em Los Angeles, sem a presença de público por conta da pandemia de coronavírus.


O Combate vai transmitir ao vivo no dia 28 de novembro a volta de Mike Tyson aos ringues, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Os assinantes do canal vão acompanhar a luta contra o americano Roy Jones Jr., que terá oito rounds. A transmissão do evento de Los Angeles, que tem outras seis lutas previstas, começa às 21h30. A TV Globo também vai exibir a luta na madrugada de sábado para domingo após o Supercine.

           Quem vai vencer a luta deste sábado?



Mike Tyson é considerado um dos maiores nomes do esporte de todos os tempos. Ao aliar talento e polêmicas, o boxeador se transformou em uma espécie de ícone da cultura pop – para o bem e para o mal. Com um cartel de vitórias emblemáticas e derrotas catastróficas, Tyson está longe dos ringues desde 2005, quando foi derrotado pelo irlandês Kevin McBride.

Com apenas 20 anos, Mike Tyson tornou-se o mais jovem campeão mundial dos pesos pesados e construiu um cartel impressionante ao longo da carreira. Foram 58 lutas, 50 vitórias e 44 delas por nocaute. Mas a trajetória do boxeador também foi marcada por muitas confusões, polêmicas e crimes. Em 1992, foi condenado a seis anos de prisão por estuprar a Miss América Negra Desiree Washington. Cumpriu metade da pena e foi liberado em março de 1995 devido ao bom comportamento.Mike Tyson com o cinturão de campeão após bater Frank Bruno - Bernd Wende/ullstein bild via Getty Images

Após ser solto, Tyson voltou a lutar e vencer. Pouco tempo depois, em 1997, protagonizou um dos episódios mais agressivos da história do boxe ao morder a orelha de Holyfield durante uma luta, sendo desclassificado e banido por um ano das competições. Fora dos ringues, seguiu tendo passagens pela polícia por acusações de agressões e porte de drogas. Um desses episódios foi no Brasil, em 2005, quando agrediu um cinegrafista e foi detido. Neste mesmo ano, depois de duas derrotas, se aposentou do boxe.

Desde então, destruiu sua fortuna de centenas de milhões de dólares e chegou a entrar com um pedido de falência, em 2003. Mas encontrou um novo caminho para o sucesso financeiro ao investir na indústria da maconha. O pugilista se valeu do fato que o consumo para fins recreativos é liberado no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, desde 2018, e investiu, através da "Tyson Holistic", em produtos relacionados à maconha.

Mike Tyson tem lucros mensais que, segundo a imprensa americana, no fim do ano passado, chegavam a gerar US$ 500 mil mensais (ou seja, quase R$ 3 milhões). Os dados atualizados de abril de 2020, citados pelo pugilista em seu podcast mostram que, mensalmente, ele vende hoje US$ 1 milhão (aproximadamente R$ 5 milhões), o que mostra que é um mercado em expansão. Em seu programa na internet, ele falou ainda que usa, para consumo próprio, uma quantidade equivalente a US$ 40 mil (R$ 200 mil) por mês de sua própria produção.




Roy Jones Jr., por sua vez, é conhecido como Capitão Gancho, por conta da potência de seu golpe. Ele tem 66 vitórias, sendo 47 nocautes, e nove derrotas. Seu último embate foi em 2018, em triunfo contra o compatriota Scott Sigmon. Ele é ex-campeão dos médios e dos super-médios. Mas se destacou mesmo na categoria dos meio-pesados, conquistando o cinturão das principais organizações do boxe. Em 2003, ele chegou a recusar uma luta milionária contra Mike Tyson.

Além de treinar atletas mais jovens, ele é comentarista de boxe. Como rapper, tem dois álbuns e vários singles gravados, além de fazer parte do grupo Body Head Bangerz. Roy Jones Jr. também é ator. Em sua filmografia, estão longas famosos como "Creed II", de 2018, onde representou ele próprio; "Matrix" e "Matrix Reloaded" , respectivamente, de 1999 e 2003, com o papel de Capitão Ballard; e "O Advogado do Diabo", de 1997, também representando ele próprio.

Roy, além da nacionalidade americana, também tem cidadania russa. No dia 19 de agosto de 2015, ele encontrou-se com o presidente russo, Vladimir Putin, na Crimeia. O boxeador explicou ao mandatário que, por viajar muito ao país por motivos comerciais, seria interessante ter acesso a um passaporte para evitar transtornos nas chegadas e partidas. Por incrível que pareça, Putin atendeu ao pedido e lhe deu a cidadania.Roy Jones Jr. durante as Olimpíadas de 1988 - Getty Images

Roy Jones Jr. também participou de uma das situações mais controversas de toda a história das Olimpíadas. Na final de sua categoria nos Jogos de Seul, em 1988, o norte-americano foi derrotado pelo sul-coreano Park Si-Hun, pela decisão dos árbitros. Roy desferiu 86 socos no asiático, que por sua vez deu apenas 32. O resultado foi tão absurdo que, momentos depois da definição, Park pediu desculpas a Roy. Alguns dos juízes foram afastados por órgãos da modalidade. Em 1997, o COI (Comitê Olímpico Internacional) conduziu uma investigação e apurou que os árbitros foram presenteados pelos organizadores sul-coreanos, mas não encontrou indícios de que as lutas de boxe das Olimpíadas de 1988 foram corrompidas.
Fonte - G1
Blog do Paulo de Souza