PARCEIROS


Prefeito de Salvador afirma que tendência é adiar carnaval em julho, mas espera vacinação para confirmar: 'Prefiro aguardar'





Especulações sobre o novo adiamento surgiram depois que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, descartou realização dos festejos em julho.

Prefeito de Salvador, Bruno Reis, ao lado da vice-prefeita, Ana Paula Matos — Foto: Reprodução/Redes Socias






O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), afirmou em entrevista coletiva nessa sexta-feira (22), que a tendência é que o carnaval, que já havia sido adiado, não seja feito em julho. Apesar disso, ele preferiu não confirmar o adiamento e citou o cronograma das vacinas.


"O carnaval só poderá ocorrer após imunização em massa, após as três milhões de pessoas em Salvador serem vacinadas. Diante do cenário hoje, com o cronograma de vacina que temos, é fácil imunizar todo mundo até julho, para a gente realizar o carnaval? Se me perguntar qual é a tendência, eu digo que não é. Mas vai depender da vacina", disse.



"A tendência é adiar, mas eu prefiro aguardar o desenrolar dos fatos, quais laboratórios vão produzir e a capacidade, para dar palavra concreta a carnaval. Mas a tendência é não ocorrer em julho".




Em julho de 2020, o então prefeito ACM Neto já havia falado sobre a expectativa de realização do carnaval no mesmo mês de 2021. No entanto, as especulações sobre o novo adiamento surgiram depois que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), descartou a realização dos festejos.


Sobre uma possível nova data, o prefeito Bruno Reis especulou o adiamento para o final do segundo semestre, mas deixou no ar que o carnaval talvez não seja realizado.



"Pode ocorrer em outubro ou pode ser que não tenhamos condição de realizar esse ano, por causa da vacinação das pessoas. É cedo para afirmar. Sem ter um cronograma exato da vacina, não dá para falar de carnaval".

Vacinação

Enfermeira foi a primeira pessoa vacinada na Bahia — Foto: Itana Alencar/G1 Bahia

A vacinação em Salvador começou na terça-feira (19). De acordo com o 'Vacinômetro', ferramenta digital que contabiliza a imunização em tempo real, até a publicação desta reportagem a capital baiana já tinha vacinado 9.836 pessoas, sendo 9.193 delas profissionais da saúde.

A enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, de 53 anos foi a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 em solo baiano. Ela trabalha no Hospital Couto Maia, na linha de frente no combate à pandemia.

Por enquanto, a Bahia recebeu 376.600 doses da vacina CoronaVac, sendo cerca de 45 mil delas para Salvador. Não há previsão da chegada de novas doses dessa ou de outras vacinas.

G1 BAHIA