PARCEIROS


Corpos de mãe e filha são encontrados em quintal de casa no interior de São Paulo

 

Horror: Corpos de mãe e filha são achados enterrados no quintal de casa. Crime chocou o país.

A Polícia Civil de Pompeia, interior de SP, encontrou na tarde desta terça-feira (2) os corpos de mãe e filha que estavam desaparecidas desde novembro do ano passado. O ex-companheiro da mulher é um dos principais suspeitos do crime, mas não foi achado pela polícia. A filha dela, de 18 anos, também é suspeita de participação e foi presa.

Segundo a polícia, o ex-companheiro de Cristiane chegou a ser levado à delegacia para prestar esclarecimentos quando as vítimas estavam desaparecidas. No entanto, depois que os corpos foram encontrados, ele não foi mais localizado. O delegado Cláudio Anunciato Filho informou ter provas de que o homem tinha um relacionamento com a filha da vítima que foi apreendida na terça-feira, após os corpos terem sido encontrados e ela também ter sido apontada como suspeita. A polícia, no entanto, não informou, que elementos comprovam a existência desse relacionamento. “A jovem não admite nada em seu depoimento sobre a participação [no crime], e nem mesmo que mantém um relacionamento amoroso com o padrasto, mas já temos provas que a relação existe”, disse Anunciato Filho.

Denúncia de cárcere privado

O delegado também informou que a Polícia Civil chegou à casa onde os corpos estavam enterrados após receber denúncia de cárcere privado. A informação era de que a jovem teria sofrido abuso por parte do padrasto. Policiais encontraram apenas o homem e a jovem em casa, e os levaram para prestar esclarecimentos.

Crime brutal: polícia também desenterra corpo de criança morta em Pompeia |  Visão Notícias - Informações de Marília e região

“A garota disse que a mãe foi embora com a filha após conhecer um novo namorado, mas os depoimentos eram contraditórios e fomos investigar”, explicou o delegado, que não detalhou o que a garota informou sobre a denúncia de cárcere privado. Ao investigar o desaparecimento, a polícia também descobriu que o suspeito estava movimentando a conta da mulher, que havia sido demitida recentemente e recebido um valor de rescisão. Segundo o delegado, as mortes teriam acontecido no fim de novembro e os corpos estavam enterrados na casa desde então.