PARCEIROS


Barreiras: Mutirão de combate à dengue, Zika e Chikungunya está no bairro Santa Luzia


 


As ações de combate e controle às chamadas arboviroses - doenças causadas pelos arbovírus, que incluem o vírus da dengue, Zika, chikungunya e febre amarela, estão sendo intensificadas em Barreiras. Nesta quinta-feira (4) e sexta-feira (5) um mutirão, composto por 126 agentes de endemias e profissionais das unidades de saúde e da Atenção Básica estão no bairro Santa Luzia orientando moradores sobre a limpeza de terrenos baldios, acúmulo de lixo e água em recipientes.



Os trabalhos de combate estão sendo realizados desde o início do ano, porém, os mutirões iniciaram na semana passada pelos bairros Santo Antônio e Sombra da Tarde. De acordo com a direção do Centro de Controle de Zoonoses, Barreiras fechou o primeiro ciclo de infestação pelo mosquito Aedes Aegypti, transmissor das doenças, com um índice de infestação predial de 0,79%. Este ciclo é medido a cada dois meses e neste caso, corresponde a janeiro e fevereiro.



 Em 13 bairros, dos 44 trabalhados, o índice foi maior que 1%, classificado como “de alerta”.

“Estamos nos antecipando, com ações educativas e mutirões de limpeza em terrenos baldios, ferros velhos e borracharias, principalmente, por serem os locais de maior incidência das larvas e do próprio mosquito. Estamos ainda recebendo reforço de quatro carros fumacê, vindos da cidade de Serrinha, tudo para evitar que haja um aumento dos casos, alerta o diretor do Zoonoses, Dorimar de Almeida.

Todo material retirado durante os mutirões será recolhido pelas equipes da Secretaria de Infraestrutura e descartado. Porém, o diretor do Centro de Controle de Zoonoses reforça que é responsabilidade do proprietário dos terrenos baldios, residências e pontos comerciais, a retirada de lixo, limpeza e conservação destes ambientes para evitar a proliferação das doenças.





Prevenção - A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Dircom/PMB - 04.03.2021

Nenhum comentário

Deixe aqui seu comentário.

Observação: Você é responsável pelo seu comentário.


Compartilhe o Blog: Paulodesouza.digital