PARCEIROS

CDL emite nota de repúdio ao Decreto Municipal de Barreiras

 A Prefeitura de Barreiras determinou o fechamento do comércio ‘não essencial’ por 10 dias por causa da situação da pandemia na cidade.

 A medida começou a valer à meia-noite de sábado (15) e segue até o dia 24 de maio.

Em razão disso, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), divulgou uma nota de repúdio ao Decreto, e afirmou que os lojistas não são os responsáveis pelo momento atual de agravação e disseminação do coronavírus, uma vez que eles vêm adotando todas as medidas necessárias para o seu controle dentro dos estabelecimentos.

A CDL também pede o fim de todas as restrições ao setor comercial e o direito de trabalhar irrestritamente. 

A justificativa do pedido é, segundo eles, salvar empregos e impedir que mais empresas fechem as portas.

“A verdade é que a situação atual da saúde do município e da região não é nossa culpa. 

Fechar o comércio não resolve, o que resolve são mais leitos, que hoje são insuficientes para a região. O que resolve é mais médicos, mais apoio e respeito aos profissionais de saúde. 

O que resolve é mais consciência nas pessoas e mais fiscalização nas ruas, nos bairros e nas chácaras”. Sinalizou a CDL.

Vale lembrar que, depois de mais de um ano de pandemia do Coronavírus, a Prefeitura de Barreiras implantou apenas dez leitos de UTI no Hospital Central (particular), inclusive alugados, e mesmo com o agravamento da crise sanitária e a disseminação do vírus, já com mais de 200 mortos somente em Barreiras, nenhum novo leito de UTI foi disponibilizado pela gestão municipal. 

Há de se considerar que tanto o Governo Federal, quanto o Governo do Estadual, enviaram milhões de reais para a prefeitura fazer exatamente o que ela não está fazendo, que é implantar leitos de UTI e proteger a população.

 Blog do Paulo de Souza. 

Nenhum comentário

Deixe aqui seu comentário.

Observação: Você é responsável pelo seu comentário.


Compartilhe o Blog: Paulodesouza.digital