PARCEIROS


Ítalo Ferreira conquista 1º ouro olímpico do surfe para o Brasil, VEJA OS DETALHES

 



É ouro! É ouro! É ouro!


Na madrugada desta terça-feira (27), o surfista Ítalo Ferreira fez história na modalidade, estreante nos Jogos Olímpicos, e ocupou o lugar mais alto do pódio ao desbancar o japonês Kanoa Igarashi na grande final. De quebra, o potiguar de 27 anos vingou o compatriota Gabriel Medina, eliminado horas antes pelo anfitrião nas semifinais, e que também não conseguiu bater o australiano Owen Whright na briga pelo bronze. O filho de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, também foi responsável pela primeira medalha de ouro do Brasil na atual edição dos Jogos.


Com um minuto e meio de prova, o brasileiro tentou uma manobra que acabou com sua prancha sendo rachada ao meio e precisando ser trocada. Insatisfeito com a escolhida para a troca, ele fez uso de uma terceira. Enquanto se preparava, ouvia orientações do treinador.

Curiosamente, esta não foi a primeira dor de cabeça de Ferreira com seu principal instrumento de trabalho. Antes de as competições começarem, ele chegou a Tóquio com a notícia de que as pranchas haviam sido extraviadas devido a um problema de conexão no aeroporto de Paris. Aproveitando ao máximo as boas ondas da praia de Tsurigasaki, o segundo colocado do ranking da WSL (World Surf League) abriu boa vantagem sobre o japonês e faltando 18 minutos para o fim da prova já somava 12,50 contra 5,56 de Igarashi.


Seguindo na regressiva, faltando 10 minutos para o fim do confronto, o japonês permanecia sem conseguir mudar a pontuação (3,83 + 1,73), passando longe da disputa que havia tido com Medina. Ítalo, por sua vez, aumentava o rendimento e somava 14,77 pontos (7,77 + 7,00). Com o brasileiro sobrando no mar e o japonês sem poder de reação, o resultado final não poderia ter sido diferente. Sem sustos, Ítalo Ferreira coroou a bela campanha na competição e o placar deixou clara a superioridade: 15,14 a 6,60. No minuto final, ele já comemorava a conquista e desfilava sobre a prancha em direção à praia. Uma festa emocionante!


"Eu vim com uma frase para o Japão: "diz amém que o ouro vem". Treinei muito nos últimos meses e Deus realizou o meu sonho, de me dar a oportunidade de fazer o que eu amo. Ajudar as pessoas e a minha família. Foi entrar na água, sem pressão, e eu consegui o que eu queria", destacou Ítalo, bem emocionado, à Globo.

"Eu queria que minha avó estivesse viva para ver o que eu me tornei e consegui fazer, pelos meus pais e pelas pessoas que estão ao meu redor. Almejei bastante e sonhei. A frase que falei está ao lado da minha cama. Todos os dias eu orei às 3h da manhã, pedindo a Deus que realizasse meu sonho", acrescentou.




CAMINHO ATÉ A BRIGA PELO OURO


A saga de Ítalo na estreia do surfe nos Jogos Olímpicos começou no domingo (25), quando terminou a primeira bateria na primeira colocação, com 13,67 pontos conquistados, deixando para trás o japonês Hiroto Ohhara, o italiano Leonardo Fiorvanti e o argentino Leandro Usuna. No round 3 (oitavas), Ferreira fez o duelo mano a mano com o neozelandês Billy Stairmand e com 14,54 pontos contra 9,67 do adversário, avançou às quartas de final do surfe na praia de Tsurigasaki. Nas quartas, foi a vez do reencontro com o japonês Ohhara. E, novamente, deu o brasileiro. Sobrando nas ondas, Ítalo venceu com 16,30 pontos a 11,90 e seguiu firme na busca pela decisão da modalidade.

No último passo antes da final, o brasileiro teve pela frente o australiano Owen Wright. Num confronto bastante equilibrado, que chegou a ficar empatado em 11 a 11 (pontos), o potiguar mostrou todo seu talento de número 2 do mundo e conseguiu tomar a primeira colocação e findou o duelo com um apertado 13,17 x 12,47.