Polícia civil de Luis Eduardo Magalhães desvenda crime do caso Chiquinho do Açaí

 



Delegado Dr. Joaquim Rodrigues

O Setor de Investigação da Delegacia Territorial de Polícia de Luís Eduardo Magalhães – 11ª COORPIN/BARREIRAS, sob comando do DPC Joaquim Rodrigues de Oliveira, elucidou o crime de homicídio consumado que vitimou o empresário Francisco Wellison da Cruz Cardos, conhecido como “Chiquinho do Açaí”, assassinado no último dia 15/12/2021.

Segundo os elementos de prova já produzidos no Inquérito Policial instaurado pelo DPC Joaquim Rodrigues de Oliveira, o operador de máquinas J. E. S. S, vulgo “Prancha”, confessou ser o autor dos 05 (cinco) disparos de arma de fogo que atingiram e foram a causa eficiente da morte do empresário “Chiquinho do Açaí”, apresentando como motivação supostas ameaças de morte proferidas pela vítima, todavia, as imagens de segurança do local do crime mostram autor e vítima ingerindo bebida alcoólica normalmente.

O crime contou, ainda, com a participação de L. C. D. D, vulgo “Cibely”, namorada de J. E. S. S, vulgo “Prancha”, a qual, segundo o próprio investigado, foi a responsável por ir até sua residência e buscar a arma de fogo utilizada por ele para praticar o crime de homicídio consumado que vitimou “Chiquinho do Açaí”. A investigada L. C. D. D, vulgo “Cibely”, após o crime, fugiu de Luís Eduardo Magalhães e se encontra em local incerto.

Por último, o laudo necroscópico da vítima “Chiquinho do Açaí” apontou que ele foi atingido por 05 (cinco) disparos de arma de fogo, dos quais 04 (quatro) atingiram a região da cabeça e das costas, todos eles cujo orifício de entrada apontou que os projéteis atingiram a vítima por trás, impossibilitando qualquer recurso de defesa.


Fonte ASCOM Polícia civil _ Luis Eduardo Magalhães
Em agradecimento ao Blog do Braga.


Blog do Paulo de Souza

ANUNCIE AQUI