Assembleia-Geral das Nações Unidas aprova resolução contra a Rússia

Com apoio do Brasil, foram 141 votos a favor, 5 contra e 35 abstenções


A Assembleia-Geral das Nações Unidas aprovou nesta quarta-feira uma resolução contra o ataque militar da Rússia na Ucrânia. Foram 141 votos a favor, 5 votos contrários e 35 abstenções. O Brasil votou a favor da resolução.

Apenas Belarus, Eritreia, Coreia do Norte, Rússia e Síria votaram contra. Tradicionais adversários dos EUA, como Cuba e China, se abstiveram.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse que o documento é claro. Determina acabar com as hostilidades na Ucrânia, silenciar as armas e abrir o caminho para diálogo e diplomacia. O secretário afirmou que não há mais tempo a perder e que o mundo quer um fim para o sofrimento humano no país.

Antes da votação, o representante da Ucrânia afirmou que a agressão militar é ilegal, que cometeu crimes bárbaros e chegou a dizer que a ação era genocida. Por fim, pediu respeito à Carta das Nações Unidas.

O representante da Rússia criticou a resolução e disse que as autoridades ucranianas mentem, apontou aumento do nazismo no país e que a ação russa visa acabar com os conflitos na região de Donbass.

Este é o sétimo dia da invasão russa no país vizinho. Os conflitos se acirram na capital Kiev e tropas russas avançam com comboios quilométricos em direção à cidade.

A população continua buscando sair das áreas de conflito no país. Segundo a ONU, já são mais de 870 mil refugiados da Ucrânia. A entidade quer levantar mais de 1 bilhão e 700 milhões de dólares para as ações humanitárias.

Edição: Jacson Segundo / Guilherme Strozi

Por Gabriel Brum - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

ANUNCIE AQUI