PRF na Bahia divulga balanço da Operação Carnaval 2022


Dados mostram queda no número de acidentes, feridos e acidentes graves. Para evitar a violência no trânsito, os policiais intensificaram a fiscalização preventiva e no que se refere a realização de testes de alcoolemia com o uso do ‘bafômetro’ houve um acréscimo substancial de 755%. A intensificação na fiscalização de trânsito durante o feriado prolongado fez com que a PRF BA obtivesse também bons números no combate à criminalidade.



A  Polícia Rodoviária Federal na Bahia (PRF) finalizou, às 23h59 desta quarta-feira (02/03), a Operação Carnaval 2022. Iniciada na última sexta-feira (25/02), a PRF intensificou a fiscalização e os esforços foram voltados à segurança viária, prevenção e redução da gravidade dos acidentes de trânsito e à garantia da mobilidade nas rodovias do país.

Durante os seis dias da operação, houve um reforço nas fiscalizações ao longo dos trechos mais movimentados, priorizando pontos e horários estratégicos onde há maior incidência de acidentes graves e de ocorrências criminais.

Os números registrados nas rodovias federais da Bahia apontam para a garantia da mobilidade e da segurança dos usuários e redução na violência no trânsito. Em relação à operação do ano passado, que ocorreu entre os dias 12 e 17 de fevereiro, houve queda no número de acidentes, feridos e acidentes graves. Já o número de autuações totais (infrações de trânsito) aumentaram consideravelmente em relação ao mesmo período do ano passado.

Segurança viária

Apesar de todo esforço da PRF na fiscalização e educação, foram flagrados diversos condutores e usuários agindo com imprudência nas rodovias federais do estado. Muitos foram os flagrantes de desrespeito à sinalização das vias e às leis de trânsito durante este feriado.

Os esforços do policiamento qualificado resultaram na fiscalização de 10.927 veículos e 13.423 pessoas tiveram seus documentos consultados nos sistemas informatizados da PRF.

Nestes seis dias da Operação Carnaval 2022, a PRF autuou 6.569 condutores cometendo infrações diversas.

Nesse ranking de imprudências mais constatadas pelos PRFs, está ainda a ultrapassagem proibida, com 1.507 autos extraídos, demonstrando que a pressa fez muitos motoristas realizarem ultrapassagens de forma indevida. Os números equivalem a mais de 10 flagrantes por hora de operação.

Responsável por grandes tragédias nas rodovias federais, as ultrapassagens indevidas provocam muitas mortes todos os anos no Brasil. Na verdade, muitos dos acidentes fatais decorrem de colisões frontais que foram provocadas por ultrapassagens realizadas de maneira inadequada. E é por isso que a Polícia Rodoviária Federal (PRF), chama a atenção aos riscos da manobra quanto realizada de forma irresponsável.

Para evitar a violência no trânsito, os policiais intensificaram a fiscalização preventiva e no que se refere aos testes de alcoolemia com o ‘bafômetro’ houve um acréscimo substancial de 755%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Durante as abordagens, foram realizados 5.337 testes com etilômetro (aparelho utilizado para aferir a quantidade de álcool ingerido pelo condutor, conhecido popularmente como bafômetro), totalizando 85 condutores autuados por alcoolemia ao volante nas modalidades constatação e recusa. 01 deles foi preso por embriaguez ao volante.

Lembramos que dirigir sob a influência de álcool é um crime previsto no Artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro, se o teor do teste for igual ou superior a 0,3mg de álcool por litro de ar alveolar, ou se o motorista apresenta sinais e sintomas de embriaguez e se recusa ao teste. A pena é de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da habilitação. A multa tanto para qualquer índice positivo de embriaguez ou recusa ao teste é de R$ 2.934,70 e o condutor pode ter o direito de dirigir suspenso por até 12 meses. Em caso de reincidência em 12 meses, o valor dobra.

Nas fiscalizações, a PRF também emitiu 73 autos de infração para motociclistas ou passageiro sem capacete. Perigo também geraram os 31 motoristas que usavam o celular enquanto dirigiam. Obrigatório não só para o motorista, mas também para todos os ocupantes do veículo, o cinto de segurança, ou melhor, o não uso dele gerou mais de 425 autuações. Quando o alvo das fiscalizações foi a criança sem cadeirinha, 105 autos foram emitidos.

Foram também retiradas de circulação mais de 396.559 quilos de excesso de peso das rodovias. O peso acima do permitido sobrecarrega os sistemas de suspensão e freios, oferecendo riscos ao motorista e aos usuários da rodovia, e ainda danifica o pavimento asfáltico. Já, 158 profissionais do volante foram flagrados desrespeitando a Lei do Descanso.

Acidentes, feridos e óbitos

A queda no número de acidentabilidade reflete os esforços das ações da PRF de educação para o trânsito e de combate às infrações que mais causam acidentes graves ou potencializam a gravidade de lesões, como ultrapassagens indevidas, condução sob efeito de bebida alcoólica e o não uso dos equipamentos de segurança.

Em relação ao mesmo período do ano anterior, a PRF na Bahia registrou uma redução de 21% no número de acidentes totais, 57 em 2021 contra 45 este ano. Destes, 14 foram acidentes graves, quando resultam em, pelo menos, um óbito ou ferido gravemente. Do total de acidentes registrados, 50 pessoas ficaram feridas, número que representa uma redução de 20,63% em relação ao mesmo período do ano passado. Este ano, 09 pessoas morreram nas rodovias baianas. O número de óbitos registrado permaneceu inalterado em relação a 2021.






Operação Carnaval - 2022

2022 (6 dias operação) – Período: 25/02 a 02/03

2021 (6 dias operação) – Período: 12 a 17/02


Acidentes totais

45

57


Acidentes graves

14

19


Feridos

50

63


Óbitos

9

9


Fonte: Polícia Rodoviária Federal - PRF

ANUNCIE AQUI