Casos de glaucoma aumentaram 26% no primeiro trimestre de 2022



O número de exames para diagnóstico de glaucoma, no SUS, aumentou em 26%, nos três primeiros meses deste ano, em comparação ao mesmo período de 2021. A doença é a principal causa de cegueira evitável. O levantamento do CBO, Conselho Brasileiro de Oftalmologia, leva em conta as informações oficiais do Datasus, do Ministério da Saúde.

Para os especialistas do CBO, o aumento de exames de glaucoma, este ano, pode ser explicado pelas demandas represadas durante o período mais crítico da pandemia de covid-19. De acordo com o presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Cristiano Caixeta, apesar dos mais de 1 milhão de exames registrados no período, este número ainda está muito abaixo do ideal.

O glaucoma é a principal causa de cegueira evitável no mundo e pode ser adquirida – com excesso de corticoides, por exemplo - ou já vem na carga genética do paciente. O nervo óptico acaba sendo destruído, aos poucos, devido ao aumento da pressão dentro do olho. Mesmo sem cura, a doença pode ser tratada com medicamentos ou cirurgia.

O publicitário Alexandre Machado, de 22 anos, nasceu com glaucoma no olho direito. A doença foi descoberta quando ele tinha apenas 1 ano, mesmo assim o nervo já vinha sendo danificado. Após a cirurgia, aos 2 anos, a doença parou de evoluir, mas sem reverter os danos que já existiam.

Segundo o oftalmologista Cristiano Caixeta, o ideal é que as pessoas façam consultas oftalmológicas com frequência para que o especialista analise possíveis doenças oculares e encaminhem para os exames adequados.

O CBO estima que o Brasil tem cerca de 1,5 milhão de pessoas com glaucoma. Mas é importante lembrar que esse número se refere aos diagnósticos confirmados após exames. Muitas pessoas têm a doença e não sabem ainda. Em 2020, a estimativa era de 80 milhões de pessoas com glaucoma em todo o mundo.


Por Sayonara Moreno - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

ANUNCIE AQUI