Com cocar e beca, toma posse a primeira indígena aprovada para Defensoria Pública da Bahia

Aléssia Pamela Bertuleza Santos, da comunidade Tuxá, foi empossada nesta segunda-feira (20).

Primeira indígena aprovada para a carreira de defensora pública no estado da Bahia, Aléssia Pamela Bertuleza Santos tomou posse nesta segunda-feira (20), no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia, no Centro Administrativo de Salvador.

Aléssia, que faz parte da comunidade Tuxá, localizada no município de Rodelas, no norte da Bahia, usou um cocar durante a cerimônia.

Junto com ela, foram empossados outros 20 defensores públicos aprovados por meio de concurso.

Aléssia usou cocar durante a cerimônia. — Foto: Defensoria Pública da Bahia

Em entrevista ao g1 Bahia em fevereiro deste ano, Aléssia contou um pouco da sua trajetória até o resultado do concurso para Defensoria Pública.

"Estudei em escolas públicas e cursei universidade pública. Fui a primeira da família a ter nível superior, sou egressa do sistema público de educação. Na Uefs, fui a primeira cotista indígena a se formar no curso de direito", afirmou.

Além de ser formada em direito pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Aléssia cursou mestrado em Direito Público na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e foi professora de direito internacional e direito tributário no Centro Universitário do Rio São Francisco.

Para ela, ser a primeira indígena a ocupar o cargo na DPE-BA é uma oportunidade de abrir portas para outros indígenas.

"Sou fruto da luta de muita gente que me antecedeu, é uma conquista coletiva. Sou a primeira, mas fico feliz em saber que, em breve, não serei a única".




Aléssia é a primeira indígena a primeira indígena aprovada em concurso na Defensoria Pública do estado da Bahia — Foto: Arquivo Pessoal

G1 Bahia

ANUNCIE AQUI