Papa bota cocar e quer bispos denunciando violações na floresta;

Papa Francisco recebeu cocar indígena de bispos do Amazonas. — Foto: Vatican News/Reprodução

Num gesto simbólico forte, o papa Francisco recebeu nesta segunda-feira por quase duas horas os bispos da região da Amazônia. Na pauta, o papel da Igreja Católica e a violência contra os povos indígenas e vulneráveis. O pontífice ainda terminou o encontro colocando cocar enviado pelos povos da Amazônia e brincou: "imagina se eu apareço na (Praça) São Pedro com isso?", arrancando gargalhadas.

Francisco recebeu do Cimi (Conselho Indigenista Missionário) um relatório sobre a violência na região e, segundo religiosos que estavam no encontro, se mostrou "profundamente consciente" do que estava ocorrendo no local.

A reunião nesta manhã contou com 17 bispos vindo da Amazônia, mais especificamente dos Estados do Amazonas, Acre e Roraima. 

Segundo a agência oficial da Santa Sé, outro recado do papa foi para que os bispos atuem "sem medo" e que denunciem aqueles que violem os direitos das populações indígenas. Lúcio Nicoletto, administrador apostólico de Roraima, afirmou que o pontífice encorajou os bispos a atuarem "sem medo de encarar os desafios que nos apresenta o momento atual, que precisa de uma palavra profética para anunciar a esperança do Evangelho da vida, mas também denunciar tudo aquilo pisoteia os direitos fundamentais das populações indígenas e do cuidado com a casa comum".

Durante o encontro, outros bispos do Amazonas presentearam o papa, entre eles o arcebispo de Manaus, dom Leonardo Steiner, que recentemente foi nomeado pelo Santo Padre como cardeal.


Também participaram da reunião representantes da igreja de Roraima e bispos do Acre e de Rondônia.


O encontro com o papa ocorre durante a visita ad Limina Apostolorum, no Vaticano, um momento no qual os bispos vão ao local prestar contas sobre o trabalho pastoral realizado em suas dioceses.


Nessa passagem pelo Vaticano, os religiosos visitam o túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo e se reúnem com a cúpula da Igreja Católica para discutir os rumos das igrejas locais.


A visita ad Limina Apostolorum dos bispos do Amazonas, Roraima, Rondônia e Acre ocorre até sexta-feira (24).


UOL e G1

ANUNCIE AQUI